Que dor é essa? Pratique a prevenção e evite lesões e problemas futuros
16 de março de 2016
Dr. André Manrique Venturine (2 artigos)
2 comments
Compartilhar

Que dor é essa? Pratique a prevenção e evite lesões e problemas futuros

Dores em corredores iniciantes são comuns, mas devem ser analisadas com atenção para evitar lesões e problemas futuros.

Os iniciantes nas corridas de rua sempre escutam dos corredores mais antigos que existem dores de adaptação ou dores de iniciantes. Pois bem, será que estas dores são normais? Por mais estranho que pareça, as dores de adaptação são dores normais, que dependendo do grau de condicionamento físico do atleta, podem ser menos ou mais intensas, mais curtas ou mais duradouras. O maior problema é que grande parte dos praticantes de corrida não sabem diferenciar as dores que estão sentindo. Muitas vezes uma lesão poderia ter sido evitada, se alguns sinais tivessem sido respeitados.
Os sinais clássicos a serem respeitados são:

• Dor intensa que aparece subitamente durante o treino é uma dor para ser analisada, pois alguma estrutura (músculo/ tendão/ osso) pode não estar suportando o nível de exigência do exercício. O ideal é diminuir a intensidade do treino no mesmo momento em que sentiu a dor. Caso não resolva, suspenda o treino e procure um especialista.

• Dor leve que aparece na atividade. Depois que o corpo “aquece” ela some e não volta mais, nem com o término da atividade. Esta é uma dor menos preocupante, mostra que talvez seja necessário ganhar mais condicionamento (força/ resistência ao exercício). Esta é a dor popularmente conhecida como dor de adaptação.

• Dor leve que aparece no início da atividade, some durante e quando o exercício acaba; algumas horas depois volta com uma intensidade maior. É uma dor que merece atenção. Provavelmente alguma estrutura está sendo danificada durante o treino. Nesse caso o melhor é revisar o volume de treino, conferir com seu técnico/ treinador se seu fortalecimento está em dia. Se não for encontrada nenhuma relação, é interessante uma investigação mais profunda com a ajuda de algum médico e/ ou fisioterapeuta.

• Dor que aparece de 24 a 72 horas após um treino ou prova. Esta é a dor muscular de início tardio. É uma dor normal. Por mais estranho que seja, esta é uma dor que acontece muito durante a fase inicial de treinos, pois o corpo ainda não está acostumado com um nível/ ritmo de atividade. Conforme o condicionamento melhora, é mais difícil estes sintomas acontecerem, exceto quando o nível de exercício extrapolar a condição física atual do atleta.

Não existe dor boa. A metodologia do No Pain, No Gain (sem dor, sem ganho) tem de ser abolida; não é preciso sofrer ou se lesionar para conseguir evoluir no esporte seja ele qual for.

É de extrema importância o atleta conhecer seu próprio corpo. Não há razão para começar um treino enquanto o corpo pede por descanso. Os maiores erros são cometidos por atletas amadores, que na maioria das vezes trabalham o dia todo e conseguem somente realizar suas atividades esportivas nos horários de descanso. Nosso corpo não é uma máquina que trabalha 24 horas por dia a todo vapor, precisamos de descanso para conseguir evoluir. O repouso ajuda a reparar tudo aquilo que foi lesado no último treino. As estruturas podem relaxar para aguentar o próximo dia de treino. O fundamental é entender que até os atletas profissionais descansam, ou melhor, usufruem de uma coisa que os atletas amadores não conseguem: são pagos para descansar. A maior parte das lesões em corredores decorre de sobrecarga ou overuse, ou seja, lesão por uma demanda de atividade/ exercício com a qual o organismo não está pronto para suportar. Não existe receita mágica ou algo que funcione para todos. O melhor é ter o bom senso em dia, pois atualmente na era das maratonas e das provas de ultraendurance os tão menosprezados 5 quilômetros podem ser o início de uma longa jornada de fisioterapia.

Não pratique a autossabotagem, não ignore os sinais que o corpo manda. Respeite seus limites, treine de maneira individualizada, que com determinação e tempo os resultados virão. E o melhor de tudo, sem lesões.
Dr. André Manrique Venturine

Dr. André Manrique Venturine

Coordenador da Equipe de Reabilitação da Labs For Fit Crefito 4 140843-F Cel 34-99551234

Artigos relacionados

Ainda não há artigos disponíveis.

Comentários

  1. Roberto
    Roberto março 18, 16:47
    Parabens filho, gostei de sua explicação.
  2. Lucas
    Lucas março 21, 06:23
    Excelente perspectiva sobre o tema, quem corre ja a algum tempo sabe que esse aprendizado não é fácil de ser forjado na prática, mas a visão profissional ajuda e muito! Parabéns!

Comentar

Seus dados estarão seguros! O seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios marcados como *